sexta-feira, abril 29, 2011

Visita

Um anjo visitou-me. Disse que eu poderia fazer-lhe um pedido. Teria que ser algo que estivesse fazendo muita falta em meus dias. 
Pensei, pensei e pensei. Finalmente, disse-lhe:
- Quero ser livre! Dá-me asas! 
O anjo assentiu, e pronunciou com sua voz eminente:
- Usa tuas asas com cuidado. Não deixe que tentem quebrá-las, e se tentarem, voe o mais alto que puder. Só não permita que as quebrem! 
Logo, um par de asas começou a brotar em minhas costas. Eram tão brancas quanto a neve. Fortes e imponentes.
O anjo estendeu-me um livro completamente puro. Todas as páginas em branco.
- Tome isto, servirá-lhe de proteção para os males que venham a assolar-te. 
Atônita, não entendi a finalidade daquilo. Foi quando o ser celestial esclareceu-me:
- Escreva neste livros todos os seus medos, guarde junto ao peito, pois com o passar do tempo, o seu coração irá apagá-los e escreverá um novo roteiro para a sua vida, ajudando-lhe a guiar as suas asas com sabedoria. 




Um comentário:

Aline Souza disse...

Muito lindo! Uma perfeita metáfora da liberdade e sobre o ato de escrever que é um constante preencher de vãos... Adorei!
Te seguindo aqui tbm Thaís! Abraços, Aline Souza, moderatora e autora do blog A cor e o perfume dos dias.

Postar um comentário